O cantor Ricky Martin relembrou a sua saída do armário que aconteceu há mais de oito anos. Em entrevista ao Hollywood Reporter, ele confessou que a decisão o deixou apreensivo a respeito do futuro da sua carreira.

    “Eu estava vivendo com medo. Eu olho pra trás e penso: ‘quantas vezes Barbara Walters me perguntou se eu era gay. Por que eu não disse sim?’. Mas não era meu momento. Eu não estava pronto. Eu vivia com uma homofobia internalizada. Eu tinha minha vida amorosa com homens, meus amigos e família sabiam, mas eu não queria tornar pública”, declarou.

    Apesar de ter se arriscado recentemente na dramaturgia ao interpretar Antônio D’Amico, o namorado de Gianni Versace em American Crime Story, o artista garante que não abandonará a música: “A música sempre estará lá, mas acredito que também sou um contador de histórias e, se eu tiver a oportunidade de me rodear dessas pessoas maravilhosas e puder contar histórias de impacto mundial, vou me comprometer com isso. E sou muito grato a isso.”

    Vale lembrar que em entrevista recente, Ricky chegou a afirmar que gostaria que seus filhos, os gêmeros Mateo e Valentino, de 9 anos, fossem gays. “É muito especial. A sensibilidade, a forma como eu vejo agora, que eu não tenho mais que me esconder de nenhuma forma. Eu vejo cores. E um arco-íris [símbolo da comunidade gay]. Eu entendo por que o símbolo é um arco-íris. É real. Tudo é tangível. Faz de mim uma pessoa mais forte”, afirmou o portoriquenho.

    Fonte: Observatório G (Blogue) | 23.08.18

    Login